Brasil Connecting

  • 23 de abril de 2020
home office

Após o coronavírus, o mundo não voltará a ser o que era. Esta convicção é do biólogo e pós-doutor em microbiologia Atila Iamarino, principal referência brasileira na evolução da Covid-19.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Iamarino afirmou ainda que 'vamos ter de alterar períodos de reclusão com períodos na rua', até que uma solução definitiva para a pandemia que parou o mundo seja criada.

Hoje, o tratamento ambulatorial é destinado apenas para casos graves, que chegam a demandar o uso de respiradores mecânicos na unidade de tratamento intensiva (UTI).

Mas até que se descubram vacinas ou tratamentos para o coronavírus, a melhor alternativa para conter a transmissão é o distanciamento social.

Uma nova realidade

A conclusão de muitas autoridades de saúde em todo o mundo é que a quarentena veio para ficar e deve continuar vigente por um bom tempo.

Isso porque até países que resistiram em determinar o isolamento – como Estados Unidos e Suécia- agora determinaram que os cidadãos fiquem em casa.

Apenas nos EUA, novo epicentro da doença, já são mais de 890 mil infectados e 50 mil vítimas fatais da Covid-19.

Já a nível global, o número de casos confirmados ultrapassou a marca de 2,5 milhões, mas há subnotificação.

Assim como a pandemia, também é um problema que atinge todos os países: ninguém sabe qual é o total real de doentes e vítimas desta crise sanitária.

E a perda de vidas impacta mais a economia do que manter as atividades não essenciais paradas.

De acordo com o estudo de economistas do MIT e do Fed (banco central norteamericano), que comparou a evolução da gripe espanhola nos Estados Unidos em 1918, as cidades americanas que implantaram o isolamento social com maior restrição tiveram desempenho econômico similar durante a pandemia e melhor após a quarentena.

Home office como alternativa

Cabe, então, aos empresários se adaptarem a esta nova realidade.

Ainda que o serviço de contact centers seja classificado como essencial e tenha autorização para continuar em atividade, diversas empresas estão migrando suas operações ou parte delas para o home office.

Algumas das maiores empresas do segmento já somam entre 700 e 900 colaboradores trabalhando de casa.

Esta decisão de permitir que o colaborador trabalhe à distância só foi possível graças às flexibilizações das relações trabalhistas e respaldo jurídico aprovado pelo governo.

Teletrabalho x home office

O teletrabalho, também conhecido como trabalho remoto, já era previsto por lei, graças à Reforma Trabalhista. Esta modalidade é caracterizada como prestação de serviços preponderadamente feita fora das dependências do empregador.

A permissão para trabalhar em casa tem outras características durante a pandemia. 'Não se pode confundir home office com teletrabalho, que é uma outra modalidade de trabalho prevista na CLT. O home office está sendo utilizado como uma medida excepcional em função da pandemia mundial.

A jornada de trabalho pode ser plenamente controlada pelo empregador, diferente do teletrabalho,  por meio de qualquer meio telemático utilizado para esse fim, ou até mesmo um controle de ponto tradicional.

O contrato desse empregado que está excepcionalmente em home office é um contrato 'presencial' e não de trabalho remoto', explica – Danielle Calandrini Diretora Jurídica e Advogada da Brasil Connecting.

Disponibilizamos um Modelo de Contrato de Teletrabalho para você fazer o download e poder utilizar na sua empresa. É só preencher seus dados que enviamos direto para seu e-mail.

MP 936/2020

Em vigor desde o início de abril, a medida provisória 936/2020 institui o “Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda”, para tentar combater os efeitos da crise deflagrada pela epidemia de Covid-19.

Desta maneira, a MP permite a realização da jornada de trabalho em 25%, 50% e até 70% durante a pandemia, tendo em vista que, com a paralisação das atividades não essenciais, há a probabilidade de que a demanda por produtos e serviços neste período também seja menor.

Para aderir à medida, os acordos de redução salarial devem passar pelos sindicatos. A decisão é do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Depois de celebrado o acordo individual de redução de salário entre empregador e empregado, a negociação deve ser comunicada ao sindicato da categoria, que poderá propor negociações coletivas.

Além da possibilidade de reduzir a remuneração e a carga horária durante 90 dias, empregadores também podem suspender contratos de trabalho por 60 dias.

Assista abaixo na integra esse bate papo exclusivo com a Danielle Calandrini.

Setor de cobrança

No caso das empresa de recuperação de dívidas, a situação nos próximos meses pode ser ainda mais sensível, já que alguns bancos estão flexibilizando ou postergando o pagamento de dívidas.

É o caso da Caixa Econômica Federal, que anunciou diversas medidas de apoio à economia.

Entre elas, determinou a redução de juros de várias linhas de créditos, além da suspensão de pagamento de dívidas por 60 dias para pessoas físicas e micro e pequenas empresas.

Já o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou a flexibilização do prazos de pagamento de dívidas em até duas prestações de financiamento de imóveis e veículos, além da negociação de outras dívidas, em meados de março.

E esta possibilidade viralizou. Até 6 de abril, os bancos receberam mais de dois milhões de pedidos de prorrogação de empréstimos e financiamentos – o que já mostra que a capacidade de pagamento do consumidor está comprometida.

É provável que a recuperação de dívidas será fortemente afetada nos próximos meses. Pois além de contar com o salário reduzido durante a quarentena ou mesmo com o desemprego.

O consumidor ainda terá mais tempo para negociar e prazo para colocar as pendências em dia.

Caberá às empresas de cobrança, então, apostar em assertividade nas tratativas com o cliente e ainda reduzir, ao máximo, os custos de operação, a fim de passar os próximos meses com um fluxo de caixa sustentável.

Caminho sem volta

Por fim, vale lembrar ainda que o home office, que já era praticado por diversas empresas antes da crise, deve cair ainda mais no gosto popular.

Há estimativas que até 30% dos trabalhadores hoje deverão continuar em casa mesmo depois do fim da pandemia.

Este é o momento para que empresas invistam em soluções tecnológicas que, além de maior eficiência, trazem também redução de custos e diversas possibilidades para os clientes.

E a Brasil Connecting oferece diversas soluções para garantir resultados e faturamento para a sua empresa.

No próximo artigo, vamos elencar ferramentas para reduzir os custos da sua empresa e aumentar seus resultados.

Continue acompanhando os nossos conteúdos nas redes sociais e se inscreva na nossa Newsletter para receber dicas de como melhorar a performance da sua empresa.

Referências

Pesquisa do Fed: https://www.infomoney.com.br/colunistas/pedro-menezes/quarentenas-podem-beneficiar-a-economia-no-longo-prazo/

Decisão sindicatos: https://www.conjur.com.br/2020-abr-06/sindicatos-deflagar-acao-coletiva-houver-suspensao-contratual

https://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2020-04/stf-acordos-de-reducao-de-salarios-devem-passar-por-sindicatos

Caixa: https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus-servico/caixa-reduz-juros-suspende-pagamento-de-dividas-para-pessoas-fisicas-empresas-2-24314382

Dívidas: https://veja.abril.com.br/economia/bancos-recebem-2-milhoes-de-pedidos-de-renegociacao-veja-como-solicitar/



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Endereço
Av. Santos Dumont, 1665 - Bairro Santa Bárbara - Criciúma - SC - CEP: 88804-342
Fones
Comercial
Belém: (91) 3221-4996
RJ: (21) 3005-0502
SC: (48) 4042-0992
Suporte
SP (Suporte): (11) 2626-4364
Redes Sociais

© 2020 Brasil Connecting Telefonia Voip.